Dez alimentos que aliviam a enxaqueca

Por iG São Paulo

compartilhe

Tamanho do texto

Alguns hábitos alimentares, como o consumo de cafeína e de aspartame, também podem influenciar os sintomas da doença

Seus hábitos alimentares e o que você coloca no prato podem influenciar no desencadeamento e no controle da enxaqueca.

A boa notícia é que há algumas bebidas e comidas que - por serem ricos em ômega 3 ou em ácido graxo - podem aliviar as dores da própria enxaqueca ou de outros efeitos colaterais causados por esta dor de cabeça que atinge cerca de 20% da população, de crianças a idosos. Veja o que comer quando a dor surgir!

Peixes ricos em ômega 3 (salmão, atum, bacalhau, etc) ajudam a aliviar a enxaqueca. Foto: Getty ImagesVerduras frescas verdes ajudam organismo a assegurar dose adequada de magnésio. Foto: Agência BrasilFeijão também ajuda organismo atingir dose ideal de magnésio (quem tem enxaqueca costuma ter nível abaixo do recomendado). Foto: Thinkstock/Getty ImagesGengibre cru pode aliviar a náusea e os problemas digestivos que costumam acompanhar as enxaquecas.. Foto: Getty ImagesPimentas também são auxiliares para aliviar a dor. Foto: Getty ImagesÁcidos graxos, como os presentes no azeite de oliva, sardinha e outros alimentos são ótimos para aliviar a dor. Foto: Getty ImagesO orégano ajuda a combater inflamações que podem aumentar a dor... Foto: Getty Images... assim como a canela. Foto: Getty ImagesA granola é rica em triptofano, assim como a banana, maracujá e outros grãos integrais. Eles ajudam a combater a dor. Foto: Thinkstock/Getty ImagesA água é essencial. A desidratação desencadeia crises. Foto: Getty Images


Hábitos alimentares contra a enxaqueca
Além de escolher os alimentos adequados, é necessário também ter atenção aos hábitos alimentares que podem desencadear a enxaqueca.

A inglesa Wendy Green, especialista no assunto e autora do livro "50 coisas que você pode fazer para lidar com a enxaqueca", da Editora Larousse,dá algumas dicas:

Controle os níveis de açúcar no sangue
Os níveis de açúcar variam de acordo com a alimentação, o consumo de medicamentos e também a produção de hormônios. Quando eles caem muito, isso pode resultar em hipoglicemia (baixo índice de açúcar no sangue). Nessa situação, o cérebro não recebe glicose suficiente para funcionar de forma apropriada. O corpo, então, reage produzindo hormônios que liberam glicose na corrente sanguínea. Como resultado, a pressão se eleva, o que desencadeia a enxaqueca.

Fique atenta com a cafeína: ela pode ser a vilã ou mocinha da enxaqueca
Thinkstock/Getty Images
Fique atenta com a cafeína: ela pode ser a vilã ou mocinha da enxaqueca

Observe a quantidade de cafeína ingerida
A cafeína pode ser tanto um tratamento quanto um fator desencadeante para a enxaqueca.

Se você não toma café ou chá regularmente, uma xícara de chá ou café forte, ou um copo de refrigerante do tipo cola, pode ajudar a cortar a enxaqueca, principalmente quando tomado junto com remédio.

Acredita-se que a cafeína contraia os vasos dilatados ao redor do cérebro e assim maximize a eficácia dos analgésicos.

Cuidado com a tiramina
Trata-se de um aminoácido natural de certos alimentos e bebidas alcoólicas como o vinho e a cerveja. Acredita-se que algumas pessoas sejam mais sensíveis aos efeitos da tiramina. Os estudos ainda são inconclusivos, porém, alguns enxaquecosos alegam alívio quando evitam alimentos que contêm a substância. Entre eles estão: laticínios, frutas cítricas (principalmente laranja), nozes, soja, vinagre, produtos fermentados.

Fique atento aos aditivos alimentares
Eles são usados pelos fabricantes para realçar o sabor e a cor do alimento, assim como para prolongar a validade. Embora as pesquisas indiquem que os aditivos são geralmente seguros, algumas pessoas são mais sensíveis a eles. Entre as substâncias vinculadas às enxaquecas estão glutamato monossódico, nitratos e nitritos, aspartame, tartrazina, sulfitos e benzoato de sódio.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas