Tamanho do texto

Academia Americana de Pediatria faz ressalvas sobre a ingestão de isotônicos e contraindica o consumo de energéticos; mesmo assim, consumo triplicou nos últimos anos

O consumo semanal de bebidas energéticas e até mesmo de isotônicos por adolescentes tem relação com hábidos pouco saudáveis, como a alta ingestão de outras bebidas ricas em açúcar, o cigarro e o sedentarismo. Foi o que mostrou um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Minnesota e da Universidade Duke, ambas nos Estados Unidos.

Especialistas estão preocupados com  consumo de isotônicos e energéticos entre adolescentes
Thinkstock Photos
Especialistas estão preocupados com consumo de isotônicos e energéticos entre adolescentes

Nos Estados Unidos, houve um declínio no consumo de refrigerantes e sucos de fruta, ao passo que a ingestão de isotônicos e de energéticos triplicou entre os adolescentes nos últimos anos. O alto teor de cafeína nos energéticos, bem como a quantidade de açúcar contida tanto nos energéticos e nos isotônicos tem gerado muita preocupação entre os profissionais de saúde.

Leia também:  O lado B dos isotônicos
Rede de supermercados proíbe energéticos para menores de 16 anos

Para entender melhor o comportamento de consumo dos adolescentes, os cientistas pesquisaram 2.793 estudantes de 14 anos em escolas públicas e privadas.

Eles analisaram peso e altura dos adolescentes, tabagismo, a frequência de consumo das bebidas, tipo de café da manhã, horas por semana dedicadas à atividade física, tempo jogando videogame e tempo destinado para ver televisão.

Os pesquisadores notaram que, embora o consumo de isotônicos esteja ligado a adolescentes com níveis mais elevados atividade física, há também um forte consumo entre adolescentes pouco saudáveis, que ingerem altas doses de bebida energética assim como de isotônicos, teoricamente uma bebida voltada para esportistas. 

"Notamos que, entre os meninos, o consumo semanal de bebidas esportivas foi significativamente associado com bastante tempo em frente à TV. Aqueles que consumiam regularmente isotônicos passaram cerca de uma hora a mais por semana assistindo TV em comparação com os que consumiam menos", disse a autora do estudo Nicole Larson, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Minnesota, Minneapolis. "Os meninos que consumiram bebidas energéticas pelo menos uma vez por semana passaram cerca de quatro horas a mais por semana jogando videogame em comparação com aqueles que consumiam menos bebidas energéticas", completou.

A Academia Americana de Pediatria recomenda que isotônicos sejam consumidos por adolescentes apenas após exercício físico vigoroso, já as bebidas energéticas não devem ser consumidos por não oferecerem nenhum benefício à saúde dos adolescentes e por aumentarem os riscos para a superestimulação do sistema nervoso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.